English   |   Español   |   Français
Já está registrado?  Acesse a área restrita: login  senha


Conferência UIPES
Iniciadas em 1951, em Paris, as Conferências Mundiais em Promoção da Saúde promovidas pela União Internacional para ...


Sobre a UIPES
A União Internacional para a Promoção da Saúde e Educação (UIPES) é uma associação mundial de indivíduos...


Sobre a ABRASCO
A Associação Brasileira de Saúde Coletiva - Abrasco, é uma sociedade científica de âmbito nacional...


Sobre Curitiba
Fundada em 1693, Curitiba é a capital do Paraná, um dos três estados da região Sul do Brasil. Hoje, contando com os 28...
 

Home

Pedidos de Visto

Sobre o Logo

Conheça os Autores

Comitê do Legado

Comitês

Convidados

Programação

Inscrições

Atividades Extras

Resumos de Trabalhos

Expositores

Notícias

Local do Evento

Hospedagem

Fale Conosco

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, a União Internacional para Promoção da Saúde e Educação e seus parceiros estão ansiosos para sediar este importante evento global de saúde pública e promoção da saúde. A 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde da UIPES acontecerá em Curitiba, Brasil. O objetivo é criar um fórum global onde pesquisadores, profissionais e formuladores de políticas envolvidos e comprometidos com a promoção de saúde e equidade poderão compartilhar e discutir novos conhecimentos, práticas e políticas inovadoras, além das experiências mais avançadas neste campo do conhecimento.     

Temática
Apesar dos crescentes apelos para que todos os níveis de governo atuem sobre os determinantes sociais da saúde e da equidade, tais como a distribuição de recursos e poder, a distância entre aqueles no topo e na parte inferior da hierarquia social continua aumentando. Os impactos sobre a saúde e a equidade se fazem sentir em nível nacional e localmente em nossas cidades, bairros e comunidades, onde grupos de pessoas não têm acesso aos recursos básicos com os quais construir a sua própria saúde e a de seus filhos e netos. Trinta anos após a adoção da Carta de Ottawa para a Promoção da Saúde por aqueles comprometidos a " enfrentar as desigualdades em saúde produzidas por normas e práticas (sociais) ", e mais do que nunca, a busca da equidade deve ser uma prioridade de políticos, profissionais, pesquisadores e todos aqueles envolvidos com práticas de promoção da saúde. A 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde da UIPES será uma oportunidade única para avaliar o progresso, compartilhar estratégias e resultados de pesquisa, e refletir sobre práticas e políticas inovadoras que promovam a saúde e a equidade, em todos os níveis de governança. 

[veja mais]

Subtemas     
A fim de explorar em detalhes como promover saúde e equidade, e emergindo do trabalho mais inovador e atual no campo da pesquisa, política e prática de promoção da saúde, os seguintes subtemas vão estruturar a programação da conferência:

1 - Imperativos éticos e culturais em intervenções que promovam saúde e equidade

A pesquisa tem mostrado que, em matéria de saúde e equidade, não é verdade que uma mesma medida sirva para todos. Este subtema aborda três aspectos relacionados. Em primeiro lugar, para serem efetivas e equitativas, intervenções de promoção da saúde devem ser adequadas às condições históricas, sociais, culturais e ambientais que formam o contexto onde as mesmas são implementadas. A necessidade de adaptação local aponta questões importantes sobre a utilização dos resultados de pesquisas que norteiem as intervenções locais. Em segundo lugar, embora concebido como um primeiro passo essencial para atingir um nível básico de desenvolvimento humano, os programas universais que propõem cobertura igual para todos, independentemente de suas posições sociais, são cada vez mais questionados quanto a seu impacto sobre a equidade. Quais são os benefícios e retornos associados a soluções alternativas propostas e experimentais, tais como: o universalismo proporcional, o apoio condicional e a transferência de renda, as organizações de microcrédito, entre outros? Em terceiro lugar, a pesquisa recente tem discutido que pensar e implementar intervenções comunitárias e populacionais envolve questões éticas que diferem daquelas relevantes para intervenções clínicas. Isto é mesmo verdadeiro? Se sim, quais são as questões éticas aí colocadas e como elas podem ser abordadas na prática? A conferência irá explorar estas e outras questões relacionadas.

2 - Mudanças urbanas fazendo diferença localmente, considerando vozes emergentes

"Saúde é construída localmente onde as pessoas vivem, trabalhar, brincam e amam." Esta é uma das proposições fundamentais da Carta de Ottawa para a Promoção da Saúde. Embora saibamos que as forças que moldam nossas sociedades e a maneira como se estruturam as hierarquias sociais, operam muito além do alcance de ações individuais, é nas casas das pessoas, bairros e ambientes de trabalho que o impacto concreto dessas forças é visível. Elas influenciam a quantidade e qualidade dos recursos disponíveis cotidianamente para as pessoas construírem sua saúde. Mitigar o impacto dessas tendências globais, envolvendo localmente as pessoas, incluindo aqueles cuja voz é mais raramente ouvida, para melhorar suas condições de vida, tem sido um dos pilares de intervenções de promoção da saúde. Além disso, como uma prática com impacto sustentável em ambientes locais, a mudança urbana pode tanto agravar como atenuar o impacto dos determinantes sociais da saúde. A conferência irá oferecer oportunidades para avaliar o progresso e identificar caminhos promissores para intervenções locais e urbanas de mudança, bem como examinar se e como elas contribuem para a promoção da equidade.

3 - Saúde em todas as políticas e ações intersetoriais: inovações na teoria, avaliação e pesquisa

Atualmente é reconhecido que a maioria dos fatores de risco proximais para doenças e problemas de saúde são moldados mais por condições sociais distais que definem a distribuição populacional desses fatores de risco. Assim, promover saúde e equidade significa atuar sobre estas condições que colocam as pessoas em "risco de risco" e que são, em grande parte, controladas por atores fora do setor da saúde. Portanto, não somente promotores de saúde devem se aproximar de outros setores para atuar sobre estes determinantes sociais da saúde, mas é cada vez mais exigido que os atores de saúde disponham dos meios e conhecimentos para desenvolverem projetos que promovam uma distribuição mais equitativa do poder e dos recursos nas sociedades. A conferência será uma oportunidade única para que os profissionais da saúde e de outros setores compartilhem experiências e inovações no desenvolvimento de parcerias intersetoriais e de saúde em todas as políticas.
 

4 - Caminhos para alcançar o desenvolvimento humano sustentável e saudável em escala global

Um conceito que se aplica às populações, o desenvolvimento humano, engloba todos os aspectos da vida humana vivida em sociedade, como o educacional, econômico, político, social, ambiental e as conquistas em saúde. Em um mundo cada vez mais globalizado, no entanto, nenhum governo isoladamente pode controlar todos os aspectos que afetam o desenvolvimento humano das populações. Estudiosos e profissionais tem apontado que algumas formas de governança global em saúde estão surgindo de projetos multilaterais diversos para promover o desenvolvimento humano e seus determinantes. A conferência irá explorar estas interdependências em escala global e irá criar fóruns para trocas e reflexões sobre a forma de alcançar o desenvolvimento humano sustentável e saudável globalmente.
  

5 - Criando questões de pesquisa compartilhados para aproximar a investigação da prática

"Promovendo saúde e equidade" é essencialmente uma agenda orientada para a ação. Ela só pode ser alcançada mediante mudanças concretas na forma com que as sociedades estão organizadas e regidas, e nas condições sob as quais as pessoas vivem. Pesquisar como tais ações são planejadas e implementadas e como os resultados são produzidos, tornando-se sustentáveis e aplicáveis em escala ampliada, é importante não só para que tais ações sejam reprodutíveis, mas também para identificar e evitar, se possível, efeitos colaterais prejudiciais não intencionais. Afinal de contas, as intervenções realmente podem produzir efeitos mais amplos do que aqueles a que se destinam, e isso é ainda mais provável para intervenções complexas. Com base nas ideias sobre implementação da ciência e pesquisa em intervenções populacionais em saúde, a conferência irá criar oportunidades para apresentação e discussão de métodos de pesquisa e resultados que forneçam evidências sobre como implementá-los na prática.


Notícias




Realização:


Patrocínio:



Apoio:


 
 

Desenvolvido por Zanda Multimeios da Infomação